Memória Olfativa

Acredito que poucas coisas conseguem gerar de maneira tão espontânea uma sensação de conforto como o cheiro da comida preferida feita pelas nossas mães. Ou o perfume de nossos amantes; até mesmo daquela camiseta usada que ajuda a matar as saudades de quem está longe. São aromas familiares que nos remetem a coisas boas e quase instintivamente geram sensação de bem estar.

Ao mesmo tempo, alguns odores podem gerar preocupações ou repúdio, como os de um banheiro público descuidado, de um gato atropelado no meio da rua, ou o vazamento do gás de cozinha.

Numa abordagem mais “científica”, nosso cérebro funciona assim: sentimos determinado aroma, o identificamos, percebemos a intensidade do mesmo e intuitivamente aceitamos ou rejeitamos aquilo que está impregnado no ar que inalamos.

Minha tia, médica, alguns dias atrás comentou que o Olfato é uma das áreas mais primitivas do cérebro, ou seja, a primeira que desenvolvemos quando somos bebês para identificar nossos pais e pessoas proximas. Interessante, não?

A questão é que, a medida que crescemos, esquecemos de dar a devida atenção ao nariz e passamos a absorver a maior parte da informação que memorizamos pelos olhos.  Em outras palavras, deixamos de treinar a memória olfativa. Na maiora das vezes, quando não estamos vendo o que cheiramos, fica mais difícil associar o aroma a sua origem. O cheiro é muito familiar, mas você sofre para descobrir o que é… e quando alguem te diz, a reação é sempre a mesma: “Mas óbvio, como é que eu não me dei conta!”

Aprender sobre vinhos envolve justamente essa parte tão primitiva e pouco treinada do nosso cérebro: a memória olfativa. Não é preciso ter um super nariz, nem fucinho canino– invejo a minha cachorra, as vezes – para entender e indentificar os aromas de uma bebida. É questão de treino. E muitas vezes a nossa impressão de determinado vinho será influenciada pelo juízo de valores que fazemos de aromas que, para nós, são considerados bons ou ruins.

A próxima vez que você for a um mercado municipal comprar frutas, ervas, especiarias ou flores, escolha uma mercadoria, feche os olhos por alguns segundos, concentre-se e inspire! Esse exercício será de grande ajuda no futuro…

Anúncios

2 comentários sobre “Memória Olfativa

  1. Adorei o post ! Fiquei imaginando/lembrando os cheiros, principalmente de especiarias e flores.
    Só me intrigou saber como será o cheiro de gato atropelado… rsrs
    Ótimo texto, leve e informativo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s